Saúde

CANDIDÍASE: Alimentação na prevenção e tratamento

CANDIDÍASE - Alimentação na prevenção e tratamento

Que mulher nunca teve Candidíase?

A doença é um dos problemas femininos mais comuns e que, infelizmente, cada uma de nós terá ao menos uma vez na vida.

Candida Albicans

A Candida Albicans é o principal fungo causador de infecção vaginal, que quando associado à baixa imunidade e calor, causa a famosa infecção: Candidíase.

Sintomas

Provoca geralmente coceira nas partes íntimas, acompanhadas de ardor e corrimento esbranquiçado. Desconforto e incomodo na certa!

Você sabia?!

Para ficar longe da candidíase algumas mudanças na alimentação são necessárias, muita gente não sabe, mas a má nutrição desequilibra a flora intestinal e favorece o aparecimento da inimiga, tanto causando infecções vaginais como oportunistas, podendo inclusive tornar o problema frequente, as chamadas “cândidas de repetição”.

A Nutrição auxiliando na Prevenção e Tratamento

Evitar determinados alimentos:

  • Retirar da alimentação leite e derivados, açúcar (qualquer tipo, inclusive mel) e farinhas refinadas, por pelo menos 30 dias, pois a cândida fermenta esses alimentos.
  • Atenção com alimentos industrializados e preparos que levem leite, açúcar e farinha refinada na composição.
  • Evitar frutas muito maduras (pela proliferação de fungos). Evitar melão, melancia, amendoim, frutas secas e cogumelos, pois são ricos em fungos.
  • Evitar alimentos e bebidas fermentados por leveduras, como pães brancos e bolos, vinho, cerveja e vinagres.
  • Não reaproveitar alimentos, mesmo que tenham sido refrigerados.

Dê preferência aos seguintes alimentos e suplementos:

  • Usar stévia se necessário
  • Aumentar consumo de temperos, como: alho, cebola, alecrim, tomilho e, principalmente, orégano (antifúngicos).
  • Dê preferência às frutas cítricas, 2 unidades ao dia
  • Aumentar o consumo de fibras (farelos, linhaça, cereais integrais e verduras variadas em abundância), pois as bactérias probióticas fermentam esses alimentos.
  • Beber uma xícara de chá de hortelã ao dia (antifúngico).
  • Consumir sementes de girassol e/ou abóbora seca (não torrada).
  • Usar os lactobacilos em cápsulas, conforme orientação do nutricionista.
  • Usar óleo de alho desodorizado ou de orégano em cápsulas, 500 mg ao dia.
  • Usar extrato de própolis.
  • Usar fórmula de vitaminas e minerais para melhora da imunidade, rica em biotina, conforme prescrição do nutricionista.
  • Usar suplemento de Clorela ou Spirulina platensis, 500 mg duas vezes ao dia.

Nutrição funcional e saúde íntima da mulher: tudo a ver!


Tagged , , , ,
Marina Fechio

Marina Fechio

Nutricionista - CRN-3 39.814

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *